• Mari - Ballet OnLine

Dessa maneira, você jamais será graciosa



Dessa maneira, você jamais será graciosa!


Tem um ponto que é muito difícil para ser trabalhado e "quebra as pernas" de qualquer bailarina adulta que passa por isso: vergonha. Com isso a gente jamais vai conseguir colocar graciosidade na nossa dança.


Do que podemos ter vergonha?


- De fazer Ballet: de contar para as pessoas que faz essa atividade, de postar algo relacionado a isso, de usar roupas de Ballet, de fazer coque. Existem muitas mulheres que sentem vergonha disso, porque não se sentem no "direito" de serem bailarinas, de ocupar um lugar que não é delas.


- Da nossa dança: de fazer os movimentos grandes, de subir o queixo para não olhar mais para o chão e de se mostrar (apresentação no palco).


- De colocar "caras e bocas": de colocar expressão facial durante uma apresentação.


Então, existem várias coisas que fazem com que a gente sinta vergonha como bailarina.


Primeiramente, é muito importante que a gente admita que tem vergonha, porque se ficarmos negando, isso vai ficar mais difícil de ser trabalhado. O problema de sentir vergonha é se retrair, encurtar os movimentos, deixá-los bem pequenos, e isso compromete a beleza e execução dos passos.


A vergonha pode ser sim, uma característica de pessoas tímidas, mas ela pode e vai interferir na sua dança, tanto na sua graciosidade, quanto na execução dos passos e passará uma sensação para as pessoas que estão te assistindo de que você não está à vontade com aquilo que está fazendo.


Além disso, a vergonha te impede de se arriscar, por conta do medo de errar e quando isso acontece você perde a oportunidade de aprender passos novos e de errar na frente do professor para que ele possa te corrigir.


Existem algumas pessoas que dizem o seguinte: "eu faço Ballet só para mim, eu não quero mostrar para ninguém" e está tudo bem, mas pense assim: o Ballet é uma arte, a partir do momento que você inicia esse aprendizado contínuo nessa arte, você acaba desenvolvendo uma ferramenta muito poderosa de ajudar outras pessoas com a sua dança. Você já viu alguma coreografia que mexeu como você, que te fez repensar algo ou que te deixou mais leve e emocionada? Com certeza em algum momento sim e quando você desenvolve a dança, de verdade, eu acredito que você tem a obrigação de compartilhar isso com o mundo, porque o mundo precisa ver a sua dança, pois ela é só sua, ela é única, independente dos seus erros. Se você conseguir colocar graciosidade a ponto de tocar alguém, vale a pena, porque é muito precioso, não desperdice isso.


"Qual a pior maneira de lidar com a vergonha?" Se forçar, fingir que não tem e simplesmente ignorar, não resolve. Isso é uma "feridinha" que precisa ser cuidada direito.


"Então, qual a melhor maneira?" Trabalhando o mindset, a maneira como você pensa, a direção que você olha. É assim que é possível trabalhar isso e trabalhando também, a segurança, de saber exatamente o que está fazendo com o seu corpo, porque se você não sabe como executar o passo e avaliar se ele está certo ou errado, vai se sentir insegura, elevando a vergonha "ao quadrado".


Então é preciso eliminar tudo aquilo que te faz se sentir insegura e assim trabalhar o mindset para colocar graciosidade, sem que a vergonha seja o principal ponto da sua atenção. São pequenas coisas no nosso dia a dia que mudam totalmente o rumo da nossa dança, se desafie, encare de frente a vergonha e comece a valorizar suas qualidades e pequenas conquistas, ao invés de focar apenas nos erros, nos pontos de melhoria, na vergonha.


Baixe agora mesmo o Ebook gratuito "As sete Etapas da Bailarina Adulta" clicando na imagem.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo