Ballet OnLine ® - 2017 - Todos os direitos reservados

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Receba aulas gratuitas se cadastrando no botão "Lista Vip Gratuita"

Como encontrar a dieta ideal para Bailarina

 

Bom, a primeira coisa que é necessário esclarecer: eu não sou nutricionista, nutróloga, enfim. Não tenho nenhuma formação para passar algum tipo de dieta, então, caso você esteja lendo este artigo procurando por isso, não é aqui que vai encontrar. O que será citado nesse artigo são os erros mais comuns que as bailarinas fazem no momento de seguir uma, e qual foi a solução encontrada por mim, em relação à ela. 

 

Quando a bailarina começa a pensar em dieta, é preciso rever algumas questões, e a primeira delas é: ela precisa? E essa pergunta precisa ser respondida com sinceridade. Para bailarinas, fazer essa análise, nos dias de hoje, não é algo tão indicado, porque nós temos uma infeliz tendência a acreditar que para fazer Ballet precisamos ser magérrimas, e não é assim que funciona, afinal, Ballet é uma atividade física e artística como outra qualquer. Isso quer dizer que você pode praticar tanto para se tornar uma profissional e aí sim seguir as regras do empregador que são: ser magra, fazer Ballet desde os 3 anos, ter perna na orelha, enfim; tanto como você pode fazer como atividade física, ao invés de fazer academia, ou fazer porque quer se sentir bailarina, porque ama essa atividade e quer se apresentar, mas não é profissional, pode até dar aulas de dança, mas o empregador não exige que seja magérrima. Então, a primeira coisa que precisa ser entendida é que bailarinas já possuem uma visão totalmente distorcida de que precisamos ser magra.

 

Muitas pensam que estar um pouco acima do peso pode sobrecarregar alguns membros, mas entenda que você só vai sobrecarregar seu joelho, quadril, etc., se estiver obesa, ou seja, muito acima do peso, e estando assim irá sobrecarregar caso for fazer qualquer outra atividade física. Mas quando falamos sobre isso já entramos na patologia chamada obesidade, ou seja, é uma doença, é outra história. Agora, estar com uns quilos a mais, estar sobrepeso, não estar dentro do IMC mais agradável do mundo, não significa que você irá causar lesões para o joelho, para as articulações porque está no limite maior dele. Sendo assim, erramos muito em acreditar que para fazer Ballet precisamos ser "magrelinhas", pois isso não existe, ou melhor, existe só na cabeça de pessoas muito antigas que não estão a fim de rever conceitos. É de fácil compreensão que como mulher adulta, é mais fácil engordar e isso é "uó", mas isso é como pessoa, não como bailarina, pois nenhuma diz "como mulher, tenho que ser magérrima", então não faz sentido, quando começa a fazer Ballet dizer que como bailarina, precisa ser magra. 

 

Sendo assim, um erro grave que bailarinas cometem é seguir dieta sem acompanhamento, como por exemplo aquelas absurdas que se vêem por aí na internet. Isso chega a ser loucura, porque é o seu corpo que está em jogo, e não encontramos outro dele na farmácia. Ao realizar essas dietas malucas, você caba tirando alimentos que o corpo precisa para se manter e consequentemente, fica doente. Então, entenda que a primeira regra para fazer dieta é procurar um nutricionista, um nutrólogo que tenha estudo e capacidade para desenvolver uma pra você.

 

Depois do que já foi citado, vem o próximo erro: dieta não é algo legal, é restritivo, onde você deixa de comer muitas coisas. Você se sente mal só de falar nela, ou seja, já faz mal pra sua mente, seu corpo entende que aquilo não é legal, e ele já vai se revoltar. Por conta disso, existe a reeducação alimentar, que os nutricionistas recomendam, ao invés de utilizar a palavra dieta, e é aí que começamos a ficar feliz.

 

Atualmente existem pesquisas que apontam linhas de alimentação que estão sendo vistas como novidade. Como por exemplo o vegetarianismo, veganismo, low carb, enfim, várias linhas. A reeducação alimentar surgiu porque quando éramos crianças não fomos educados da maneira correta sobre como devemos nos alimentar e ela é realizada com o acompanhamento de um profissional, ou seja, procure por um caso pensar em realizá-la.

 

Agora, o terceiro erro: por exemplo, você tem uma apresentação daqui 30 dias e diz que nesse meio tempo precisa estar magérrima, e por isso começa a reeducação alimentar. Depois que passa a apresentação e você não terá mais, só daqui um ano, e por isso volta a comer errado por meses, sem se importar, e assim, volta a engordar, então de nada vale essa reeducação. Sendo dessa maneira,  resumidamente, procure evitar esses três erros:

1º Pegar receitas malucas na internet; 

2º Entrar nessa onda de dieta;

3º Fazer reeducação alimentar período sim, período não.

 

 

 

Para finalizar, você precisa entender que nós como mulheres e bailarinas temos que cuidar do nosso corpo e sim, é interessante pensar em reeducação alimentar, mas é necessário tomar cuidado para que isso não vire uma "nóia", para que o nosso peso não seja um limite para fazer ou não Ballet ou qualquer outra atividade. Pense em si mesma, sobre como você se vê no espelho, como você se sente, e não no que os outros pensam.

 

Entenda também que cada pessoa terá um tipo de alimentação que irá se encaixar melhor. Por exemplo, se você não vive sem carne, não irá ter uma alimentação sem ela, ou se não consegue ficar sem carboidrato, pode partir para a linha vegetariana, e caso coma de tudo, pode só controlar a quantidade de calorias, que é uma reeducação alimentar mais tranquila, na qual vai só substituir uma bolacha recheada por uma fruta, por exemplo. Quem vai poder te falar sobre tudo isso é um nutricionista, um nutrólogo, é ele quem vai poder trilhar o seu perfil e te direcionar e não caia na besteira de achar que você precisa de uma dieta muito baixa de calorias para que você realmente consiga emagrecer, pois o Ballet consome uma energia muito grande, consome calorias, então no adianta pegar uma dieta com um nível muito baixo sendo que você consome muita. Se fizer isso, começará a passar mal nas aulas, desmaiar, ter tonturas, não vai conseguir bater cabeça, não vai conseguir girar, etc. Por isso também é importante falar para o nutricionista que você faz Ballet, quantas vezes por semana, as horas, enfim, pois ele precisa saber exatamente qual o seu consumo de calorias no dia e na semana, para que ele consiga fazer a medida adequada. 

 

Por fim, este artigo foi escrito para despertar a sua consciência, não tem mal algum em querer ser uma bailarina mais magra, mas faça porque você quer, não porque a sociedade te impõe. Pense em si mesma.

 

Baixe agora mesmo o Ebook gratuito "Ballet Adulto: por onde começar" clicando na imagem.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Destacados

Quando usar braços na aula de Ballet Adulto?

15.03.2019

1/7
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procure por Tags