Ballet OnLine ® - 2017 - Todos os direitos reservados

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Receba aulas gratuitas se cadastrando no botão "Lista Vip Gratuita"

Consciência Corporal - Verdades e Mentiras

 

Consciência corporal é um assunto que sempre gera dúvidas. Muitas vezes surgem comentários "nossa, melhorei minha consciência corporal depois que entendi sobre biomecânica", e bom, vamos parar por aí. Biomecânica, cinesiologia, cinesioterapia é uma coisa, consciência corporal é outra, pois podemos conhecer a biomecânica do corpo humano de A a Z, como funciona o grau de flexão do cotovelo, pronação de punho, enfim, tudo, e ainda assim não ter o mínimo de consciência corporal para o Ballet clássico. 

 

Então, entender de biomecânica do corpo humano não significa ter consciência corporal para o Ballet clássico, porque para isso é necessário um conjunto de informações, no qual entra a biomecânica, mas ela é só um ingrediente do bolo todo. Portanto, tome cuidado com isso.

 

Outra dúvida é "para melhorar a consciência corporal é preciso entender de anatomia?", a resposta é: não necessariamente. Esse assunto é muito louco, mas entender de anatomia é saber, por exemplo, onde o músculo bíceps braquial se encontra, onde ele se insere, qual a protuberância óssea, como ela funciona, quais são os nervos que levam informação para esse músculo, enfim, isso é entender de anatomia. Porém, nós não precisamos de nada disso para saber se o bíceps está contraído ou esticado, o que é consciência corporal, saber de olhos fechados que o meu bíceps contraiu ou esticou, e para isso não é preciso aula de anatomia. 

 

É necessário tomar muito cuidado com isso também, principalmente professores, para não começarem a dizer o nome de todos os músculos para fazer um braço em segunda, por exemplo, querendo apenas que o aluno ative uma escápula, mas falando para contrair romboide e trapézio, não levando em consideração que o aluno nem sabe o que são esses nomes (e nem precisa saber). Nesse caso o aluno só precisa saber o que é ativar uma escápula, porque isso que é consciência corporal para o Ballet clássico, é transformar o conhecimento em anatomia, cinesiologia, cinesioterapia em um conhecimento comunicável para o aluno, para que ele entenda, já que ele não tem o dever de entender de anatomia, apensas precisa saber o que é um tendu, um braço colocado em segunda posição. Agora, o professor tem o dever de saber se comunicar com o aluno, e para isso é necessário estudar consciência corporal em si próprio primeiro, como é que sente um romboide ou um bíceps contraído, para ensinar para ele de forma mais simples.

 

 

Uma outra pergunta é "para desenvolver a consciência corporal, é preciso saber fazer o passo certo?", e isso é verdade, a resposta é sim, porque se não a consciência corporal será desenvolvida em cima de um passo que nem se sabe se está certo. Dessa forma, a primeira coisa necessária para desenvolver a consciência corporal para o Ballet clássico, é saber fazer Ballet. Não adianta nada alguém tentar ensinar essa consciência corporal, se ela nunca pisou em uma aula de Ballet, se não sabe como sentir um en dehors, não é possível ensinar isso. Nós só desenvolvemos a consciência corporal quando começamos a perceber o nosso corpo dentro de um passo correto, e é aqui que acrescentamos: também é importante saber o passo incorreto. 

 

Saber o passo incorreto também é importante, porque assim é possível desenvolver uma consciência corporal para o que se sabe que está errado e para o que está certo. Dessa maneira, temos uma perfeição, porque você conseguirá detectar se o passo está certo ou errado a partir do que está sentindo, sem precisar olhar para o seu corpo. Por isso, saber fazer o passo corretamente é muito importante, mas saber como é o passo incorreto também é.

 

A última dúvida é "para ensinar consciência corporal, é necessário saber fazer o passo?", e a resposta também é sim, pois para ensinarmos consciência corporal para o Ballet clássico para um aluno, precisamos ter sentido o passo correto, e se não tiver sentido fica difícil ensinar. Você não precisa conseguir executar o passo, apenas precisa saber fazer ele certo, o que são coisas diferentes. Para fazer fouetté por exemplo, você não precisa saber executar, mas é necessário saber decompor o passo para ter conhecimento da sensação de cada pedacinho, cada momento dele, se não fica impossível.

 

Essas foram as verdades e mentiras da consciência corporal com o objetivo de clarear esse assunto na mente, mas o que é mais importante se atentar é que consciência corporal é algo muito difícil de ensinar e só aprendemos quando praticamos, isto é, se não praticarmos, fica impossível de desenvolver. Consciência corporal não se aprende em livros, se aprende com quem já sabe, com quem já sentiu para te instruir. Por isso, pratique para ter uma consciência corporal fera!

 

Baixe agora mesmo o Ebook gratuito "Zere a Abertura com apenas 5 minutos por dia" clicando na imagem.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Destacados

Quando usar braços na aula de Ballet Adulto?

15.03.2019

1/7
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procure por Tags