Ballet OnLine ® - 2017 - Todos os direitos reservados

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Receba aulas gratuitas se cadastrando no botão "Lista Vip Gratuita"

O Ballet me escolheu - Verdades e Mentiras

 

"Não é a gente que escolhe o Ballet, é o Ballet que nos escolhe" é uma frase que envolve verdades e mentiras, pois causa muita confusão na cabeça das pessoas, e neste artigo será dito sobre essas verdades e mentiras.

 

A primeira coisa a se dizer sobre essa frase, é que ela é verdade, porque ninguém nessa vida escolhe o Ballet, é realmente ele que nos escolhe. Por mais que existam pessoas no mundo que gostam de sofrer, transpirar, de fazer exercício, etc, uma pessoa normal em sã consciência jamais escolheria o Ballet como uma atividade, um hobby, enfim, porque existem muitos hobbies mais "gostosos" de se fazer, como por exemplo andar de patins, fazer trilha, e não uma atividade dentro de uma sala fechada, uma modalidade de dança cheia de exigências, enfim, ninguém escolhe isso. 

 

Todo mundo que faz Ballet vem com algo lá dentro que grita por isso, os olhos brilham ao ver uma sala de aula, e essas pessoas também tem um motivo para estar lá, uma influência de alguém ou de algo que às vezes pode até não lembrar, porque era muito pequena, mas têm uma sementinha que foi plantada em algum momento.

 

Sendo assim, quando paramos para pensar na frase "não fui eu que escolhi o Ballet, o Ballet quem me escolheu", é verdade, pois todas as pessoas que estão em uma sala de aula hoje foram escolhidas e até mesmo as que não estão, mas têm dentro do peito o desejo imenso de fazer Ballet. Por isso, essa escolha vem dele, pois ninguém em sã consciência tem vontade de ficar dentro de uma sala fechada, impostas a regras de virar a perna andehor, conseguir abertura e várias coisas que não tem lógica.

 

O problema dessa frase é quando as pessoas a levam para o lado da mentira, quando você olha para uma pessoa que entrou em uma companhia, que conseguiu um destaque e diz "não tem jeito, é o Ballet que se escolhe a gente e não o contrário". Falando isso, você está desmerecendo completamente o esforço que aquela pessoa fez para chegar ali, pois ela não nasceu com um pó mágico, ela realmente se esforçou. Ela pode ter nascido com qualidades que favorecem o Ballet clássico, mas só chegou até lá porque ela foi determinada, foi focada no que ela queria e abriu mão de coisas para estar ali. Então, é necessário tomar cuidado com isso.

 

 

Um outro sentido dessa frase é quando tentamos utilizá-la para justificar o fato de algumas pessoas não terem resultado no Ballet, dizendo por exemplo que a pessoa não foi escolhida pelo Ballet, por isso não tem resultados. Isso não faz sentido, pois ele está lá para todo mundo, o professor dá aula para a sala inteira e todo mundo tem acesso às mesmas coisas, uns em umas escolas melhores, outras nem tanto, porém hoje existem muitas ferramentas que podem ser utilizadas para aperfeiçoamento. Basta ter determinação e foco onde se quer chegar, mas ficar jogando a culpa no Ballet por você não conseguir chegar em lugares melhores, pois não foi escolhida, não é certo. 

 

Bom, a ideia não foi dar um "tapa", mas sim dizer que essa frase realmente é verdadeira quando utilizada no sentido correto, isto é, dizer que todas as pessoas que têm acesso a Ballet chegaram lá, porque ele as escolheu e não que algumas pessoas são privilegiadas por isso. 

 

Sendo assim, agora que você sabe o sentido real dessa frase, quando ouvir alguém utilizando-a com uma interpretação errada, mostre o outro lado dela, o lado correto. E nunca se esqueça: não somos nós quem escolhemos o Ballet, ele que nos escolhe!

 

Baixe agora mesmo o Ebook gratuito "As sete Etapas da Bailarina Adulta" clicando na imagem.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Destacados

Quando usar braços na aula de Ballet Adulto?

15.03.2019

1/7
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procure por Tags